capa do livro Acervo amador

Acervo amador

Aldair Neto

Sinopse

"Sempre ao voltar do colégio à tardezinha, gostava de liberar meu pensamento sobre o que fazer para ter um futuro melhor. Eu já estava certo de que a escola me proporcionaria uma infi nidade de oportunidades, mas “viajava” pensando em como ir mais longe.

Meu espaço preferido era sempre o terreiro da cozinha, cercado por uma faxina rala e inclinada, que tinha como cenário as plantas de minha vó, o moinho e uma “vereda” que nos conduzia a um banheiro inoperante no fundo do quintal. Lá no alto conseguíamos ver a “palhoça do Aconchego”, que, enquanto espaço mais “badalado” da cidade, estava sempre em sintonia com uma rádio responsável por embalar a música Early morning aos meus pensamentos, algo que revivo até hoje.

Negro, pobre e vivendo numa sociedade preconceituosa e excludente, sempre soube que precisaria de esforços para garantir o meu lugar ao sol. Munido de valores difundidos pela minha vó, entendi cedo a lei da reciprocidade. Assim, da limpeza de livros na Biblioteca Pública Municipal, onde também fui jardineiro, até os dias de hoje, tenho muito o que agradecer."

Detalhes
  • Páginas: 158
  • Encadernação: Brochura
  • Ano da edição: 2019
  • I.S.B.N.: 978-85-7142-034-2
  • Cód. barras: